sexta-feira, 23 de março de 2012

FREGUESIA DE CABEÇA GORDA

REGIÃO             ALENTEJO
SUB REGIÃO      BAIXO ALENTEJO
DISTRITO          BEJA
CIDADE             BEJA
FREGUESIA       CABEÇA GORDA



BRASÃO

No brasão está representado o cabeço onde se encontra a freguesia de Cabeça Gorda, que tem por cima uma espada com a cruz da Ordem de Santiago e aos lados desta estão as duas meias-luas que representam os mouros derrotados pelos cristäos.
O Brasão é verde representando a zona de searas onde se encontra a freguesia.
 


HISTÓRIA


A origem do nome Cabeça - Gorda reside...
A freguesia foi criada com a designação de Nossa Senhora da Conceição da Rocha, embora seja conhecida por Cabeça Gorda. Esta designação popular é mais antiga que a oficial e foi a que chegou até aos dias de hoje.





" Gorda" indica que o monte é muito largo.
Como é facilmente percebido Cabeça Gorda está situada numa elevação, o que se nota principalmente por comparação à localidade da Salvada. Terá sido da observação deste facto que nasceu o nome da aldeia.

Cabeça Gorda está situada a 12 km da cidade de Beja entre as freguesias da Salvada, Santa Clara do Louredo e Trindade. É uma das aldeias mais populosas do concelho de Beja.
Até 1901 o território que hoje constitui Cabeça Gorda fazia parte da freguesia de Salvada.

 Existem na região vestígios de uma antiga fortaleza que se crê ter sido construída pelos primeiros habitantes da Península Ibérica.
Mais tarde foi ocupada pelos romanos que a transformaram num importante posto de estrada militar que seguia de Beja para Serpa , atravessando o Guadiana. Pensa-se que a fortaleza esteve na posse dos Mouros, até à sua conquista por Afonso Henriques.
No passado as pessoas viviam principalmente da agricultura e da criação de gado.
As terras eram cultivadas pelos processos tradicionais, com o auxilio dos animais (bestas e mulas).
As principais culturas eram: o trigo, a cevada, o grão, a erva-doce, etc.
Os alimentos que se utilizavam eram: o pão, o azeite, o grão, o feijão e a carne de porco.

GRUPO CORAL


Gastronomia
ENSOPADO A PASTORA
INGREDIENTES
1 borrego pequeno
3 dl de azeite
1 cebola com casca
2 dentes de alho
2 folhas de louro
sal e pimenta
1,5 kg de pão caseiro duro
Preparação
1.   Corta-se o borrego aos bocadinhos e tempera-se com sal.
2.   Deita-se o azeite no fundo de um tacho e introduz-se a cebola com a casca, o alho e o louro.
3.   Quando o azeite estiver bem quente, junta-se a carne e tempera-se com sal e pimenta.
4.   Tapa-se e leva-se a cozer em lume muito brando, agitando-se o tacho de vez em quando e juntando pinguinhos de água.
5.   Retificam-se os temperos (sal e pimenta) e a água.
6.   Corta-se o pão ás fatias finas para um prato coberto e rega-se com o ensopado.
Nota
Hoje há quem junte uma colher de sopa de colorau a este ensopado, mas os pastores fazem-no sem ele.
arrabaldes
RITA CORTÊS


atletico clube


campo de futebol



cartaz da festa em honra de S. Luis




 corrida de toiros



depósito de água


escola primaria


escola



fonte


grupo de cantares



igreja torre


junta




















4 comentários:

  1. Boa noite.
    Encontrei uma das minhas fotografias no seu blog (as três senhoras a caminhar de costas). Embora tenha uma marca de água não se vê por ter sido publicada num formato pequeno. Eu sei que estamos num Mundo Global mas seria simpático citar as suas fontes.
    Já agora parabéns pelo seu blogue.
    Atenciosamente Rita Cortês (http://bejayarrabaldes.blogspot.com)

    ResponderExcluir
  2. Rita
    obrigado pela lembrança
    E dificil colocar todas as fontes pois são muitas fotos
    A intenção e Divulgar Portugal onde nasci mas estou vivendo no Brasil ha 65 anos
    Ja fiz a citação na foto, podes ver
    abraços

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo BLOG pois ao consultar os dados e as fotografias da grande terra que é a Cabeça Gorda, recordei com nostalgia os bons momentos que aqui passei.
    jrebolo

    ResponderExcluir
  4. Vicente José Cançado Corvo13 de outubro de 2012 06:54

    Parabéns pelo seu BLOG, pois através destas magníficas fotografias pude reviver anos da minha infância,sou alentejano, natural da Cabeça-Gorda, terra que muito me orgulho, actualmente resido em Sintra.Por exemplo o largo onde está situada a Junta de Freguesia faz-me recordar os anos em que andei na escola,3º e 4ª. classes, que eram frequentadas na Casa do Povo uma vez que se estava a construir o edifício da escola, com a professora D.Isaura D.A.Mestre.Nos intervalos das aulas muito brinquei naquele largo, à bola, ao inteiro, à barra,etc.,etc..Mais tarde já com 14,15 /16 anos lembro-me de naquelas noites quentes do alentejo em que não apetece ir deitar,a rapaziada ficava sentados naqueles bancos de ferro a conversar, a contar anedotas,etc,etc..O maravilhoso fontanário com duas caras nas bicas,situado na baixa da aldeia, serviu para matar a sede muitas vezes,naquelas noites em que a moçada passeava para baixo e para cima, do largo até às fontes atrás das moças para tentar namoricar alguma, enquanto elas carregavam bilhas de água à cabeça.( naquele tempo não havia água canalizada nas casas).Enfim boas recordações.

    ResponderExcluir