sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

VREIA DE JALES


SUB  REGIÃO       TRAS-OS-MONTES
DISTRITO             BRAGANÇA
CIDADE               VILA POUCA DE AGUIAR
FRGUESIA                   Vreia de Jales
  








Vreia de Jales é uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Pouca de Aguiar, com 48,03 km² de área e 1 190 habitantes (2001) (densidade: 24,8 hab/km²), situada na Serra da Padrela, 10 km a sudeste da sede do concelho.
Inclui no seu território os seguintes lugares: Barrela, Campo de Jales, Cerdeira, Quintã de Jales, Raiz do Monte e Vreia de Jales.
Pertenceu ao extinto concelho de Alfarela de Jales até 1853.

Património
A freguesia de Vreia de Jales situa-se no extremo sul do concelho de Vila Pouca de Aguiar, no limite com os vizinhos municípios de Sabrosa e Alijó. É uma das maiores freguesias do concelho. É também uma das mais importantes freguesias a nível arqueológico, até porque se encontra numa área que engloba também as freguesias de Tresminas, Telões e Alfarela de Jales. Podem encontrar-se, aqui, vestígios da passagem de vários povos em diferentes períodos de tempo. O período romano foi muitíssimo relevante na área da freguesia, bem como na das suas vizinhas, devido à exploração mineira. A exploração mineira de ouro de Jales desenvolve-se nos terrenos ao lado da actual aldeia de Campo de Jales. Muitos dos vestígios foram destruídos quando da exploração mineira do século XIX, mas muitos deles ainda subsistem. É o caso de uma grande corta, galerias, poços e diverso material (inscrições, lucernas, fivelas, instrumentos diversos em ferro, bronze ou madeira, cerâmicas, um tesouro com cerca de três quilos de moedas, etc.). É provável que a exploração mineira nesta região se tenha iniciado antes ainda da chegada dos romanos. É o que se depreende da descoberta de um machado de bronze, de talão e duas asas, de cronologia atribuível ao Bronze Final/Idade do Ferro. Do período romano é uma estela funerária aparecida em Campo de Jales no princípio do século XX. Estaria certamente relacionada com a exploração mineira das Minas de Jales. Está hoje no Museu Nacional de Arqueologia.

Tem como inscrição: D M S / FORTV / NATA FILI / A MATRI / ANNIAE / PRA P ET / PATRI. A instituição paroquial de Vreia de Jales ocorreu em data relativamente recente, já que a paróquia ainda não era referida no século XV. Nas Inquirições de 1220, ordenadas por D. Afonso II, os lugares que hoje constituem a freguesia estavam integradas em Tresminas. Um deles, o lugar de Campo de Jales, recebeu carta de foral em 1213, certamente pela importância histórica que tivera, ligada à exploração mineira que já referimos. Em termos de património edificado, além das já referidas minas e da ponte romana, destaca-se em Vreia de Jales a Igreja Matriz, românica, com Calvário de pedra no exterior. Em Vreia de Jales, tem grande importância histórica a Casa de Campo. Um solar armoriado que tem na sua ascendência os Leitões de Almeida, que têm também habitação em Ribeira de Pena, os Machados de Sousa e os Mourões da Cumieira. Sant'Anna Dionísio, no"Guia de Portugal", referiu relativamente à freguesia de Vreia de Jales: «A estrada que liga Vila Pouca às minas de Jales oferece alguns relances panorâmicos muito apreciáveis ao vencer a íngreme encosta que precede o planalto. Em certos encurvamentos domina-se, com o olhar, toda a veiga.










Alcançados os mil e tal metros, entra-se no descampado de altitude, ermo e tristonho. Segue-se, demoradamente, entre chapadas rochosas, um ou outro trecho de matagal, um ou outro trecho de cultivo pobre, na direcção de Murça. Região ao mesmo tempo grandiosa e nostálgica. É a extensa plataforma de Jales. Ao fim de alguns bons estirões, descobre-se ao fundo, no meio de um desolado plaino, um indeciso amontoado de barracões e escórias cinzentas. É a aldeia mineira de Campo de Jales.»





Gastronomia


TORTA DE FRANGO NO POTE
Ingredientes
.500 g de sobras de frango assado desfiado
.2 xícaras (chá) de molho branco
.120 g de massa folhada
.1 gema para pincelar
.sal e pimenta-do-reino a gosto
Modo de preparo
  1. Misture o frango desfiado com o molho branco e leve ao fogo baixo até formar um recheio cremoso e uniforme.
  2.  Corrija o ponto, se necessário, com um pouco de leite e tempere com o sal e a pimenta.
  3. Distribua o recheio frio em refratários individuais untados e reserve.
  4. Abra a massa em uma superfície enfarinhada e corte-a em círculos um pouco maiores do que o diâmetro dos refratários.
  5. Cubra a abertura dos refratários com os círculos da massa e aperte bem as beiradas para formar uma tampa.
  6. Pincele com a gema e asse em forno médio pré aquecido por 20 a 30 minutos, ou até que as massas fiquem crocantes.
  7. Sirva imediatamente. 
Dica:Sobras de carne ou legumes cozidos picados podem ser usados como recheio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário